quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes.

Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes.

Se todos pudessem sentir o que ele sente e muitos outros sentem no nordeste brasileiro.


Apenas água,e mais nada para esse povo,só isso eles pedem.



Mas o conforto dos que não sentem na pele,não sente essa dor real.



Esse povo vivente,de um nordeste carente!!! Onde está o funcionário o Presidente a Presidente,antes um cordeiro pai e mãe dos pobres,agora algoz.


Quantas forças ainda lhes resta,quantos sonhos,quanto tempo para essa veia que rasga o seu chão,essa veia cheia de água de sangue cortando o sertão,pulsando um coração da terra seca,levando a vida ao chão.


Mas um mar de mentiras,não enche,e nem uma gota se quer,nas cicatrizes do povo e seu chão.



Onde está o filho do nordeste,que um dia aclamado salvador,que esbravejava soluções,mas em suas falsas palavras,arrotou desamor,onde antes obreiro,mas em suas entranhas um ditador.


Um povo fiel,e acreditaram em um falso profeta,onde em um falso sinal,onde seria uma luz,não,sobre seu chão um corpo cansado e rasgado de sede,ficaram mais cicatrizes,marcas da mentira que levam mais a morte,do que para vida.




Aparece uma mãe gentil,com força demonstrada uma salvadora viril,com esperanças carregadas o povo feudal a coloca em seu trono,uma luz no fim do túnel,não,somente mais trevas dilacerando o Brasil.


Por onde andas hoje ó mãe gentil,prometestes acolher os seus filhos,e salvar o Brasil,a esperança alçada em suas mãos.



O suor e o rosto marcado e queimados pelo sol do sertão,escravizados e encarcerados em sonhos roubados,onde seus poucos centavos,ganhos pelas incertezas da vida,mas que somados em milhões de pessoas,se tornam milhões,que bancam o lucho e a riqueza,de quem não vale um centavo.




Mãe desnaturada que a quem foi dada esse varão,deixam seus filhos encarcerados e escravizados na escuridão,onde em seus sonhos mais ingênuos acreditaram em vão.



Onde andas mãe que se intitulava mãe dos pobres,nos dê uma mão!!! Ela não é sua mãe e não merece ser intitulada assim,ela da apoio a outros braços,braços de ditadores,algozes professores,em roubar sua vida e dilacerar os seus sonhos,apoia o braço da morte.



De onde vem nosso socorro,onde podemos procurar,a quem mais chamar de salvador,e que em seus olhos nos mostre esperança,e não outro a quem nos acabe de matar,matar nossas esperanças,nossos sonhos e dilacerar de vez nossa Nação.



Hoje filhos do Brasil,sendo levados a um caminho sem volta,onde falsos sonhos nas escolas da vida são ensinados,caminham sem eira nem beira,sem esmo,e sem chão.


Será que existe alguém,uma oposição,creio que não,seguindo os mesmos passos,com eles,chegaremos a lugar nenhum.


Digas com quem andas que eu direis quem tu és.



Imagens as vezes mostram mais do que palavras.



Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez.
Frase de William Shakespeare.



            Levantem e lutem meu povo.




Não há exemplos na História de se ter conquistado a segurança pela covardia.