segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ameaça com prisão imediata quem não aceitar os resultados das eleições municipais, que se vão realizar no próximo dia 8 de Dezembro.

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ameaça com prisão imediata quem não aceitar os resultados das eleições municipais, que se vão realizar no próximo dia 8 de Dezembro.




"O primeiro que não reconheça os resultados das eleições e tentar gerar violência vai diretamente para a prisão e vai pagar caro, muito caro." Vou ser duro, que o saibam os parasitas e burgueses», afirmou o Presidente venezuelano numa alocução ao país transmitida pela televisão estatal.

Está claro que el próximo domingo se realizarán unas elecciones municipales y no presidenciales, pero también es evidente que los atropellos de Maduro y la situación crítica del país son razones para intentar ponerle freno a sus propósitos castrocomunistas.

É claro que no domingo são de eleições municipais e  não presidenciais, mas é também claro que os abusos de Maduro e à situação do país são as razões para tentar conter suas Castro-comunistas.

A pesar de tanta ilegalidad gubernamental, las cifras de procesos electorales anteriores demuestran que la apatía ha sido un terrible enemigo de la oposición. Si en la elección de gobernadores en la que se perdió el 40% de la base electoral del 7-O, se hubieran movilizado quienes votaron por Capriles, se habrían podido ganar más de 15 gobernaciones. Se perdieron bastiones como Zulia, Carabobo, Nueva Esparta y Táchira que estaban en manos opositoras. El PSUV obtuvo 49,62% de los votos en todo el país y arrasó en municipios de Aragua y Carabobo que puede perder este 8D, porque las encuestas registran que el chavismo es aún fuerte en la mayoría de los municipios pequeños, pero que la MUD puede recuperar todas las ciudades grandes y más de 20 medianas el 8-D, si vamos a votar masivamente y cuidamos celosamente nuestros votos.

Apesar de muita ilegalidade do governo, os números mais recentes mostram que as eleições,a apatia tem sido um terrível inimigo para oposição . Se a eleição de governadores em que ele perdeu 40% da base eleitoral do 7-Ou, teriam mobilizado aqueles que votaram em Capriles, eles teriam ganhado mais de 15 províncias. Bastiões como Zulia, Carabobo, Nueva Esparta e Táchira que estavam nas mãos da oposição foram perdidos. O PSUV ganhou 49,62% dos votos em todo o país e varreu municípios de Aragua e Carabobo 8D você pode perder isso, porque as pesquisas registradas que Chávez ainda é forte na maioria das cidades pequenas, mas o MUD você pode recuperar todas as grandes cidades e mais de 20 médios 8-D, se vamos votar maciçamente e zelosamente cuidar de nossos votos.


Ocurra lo que ocurra el 8-D, la dirigencia política debe cambiar su estrategia o será rebasada por la sociedad civil. Ir a votar es nuestro deber, pero no es suficiente ante un gobierno perverso que controla delictivamente todo los poderes. La protesta pacífica en la calle debe ser asumida como una acción tan o más importante que el voto, sobre todo para detener la destrucción del país y frenar los planes castrocomunistas de Maduro.


Aconteça o que acontecer 8-D, a liderança política tem de mudar sua estratégia ou será ultrapassada pela sociedade civil. Ir votar é nosso dever, mas não o suficiente para governo perverso que controla  todos os poderes. O protesto pacífico na rua não deve ser interpretado como uma ação tão ou mais importante do que o voto, especialmente para impedir a destruição do país e frear de vez com o Castro comunista de Maduro na Venezuela.

Mergulhado numa crise econômica sem precedentes, largamente agravada após a morte de Hugo Chávez, o país vive à míngua de bens essenciais, desde medicamentos ao papel higiênico, passando pelo leite, e praticamente todos os demais produtos de necessidade  familiar.


Efetivamente, no início de Outubro Nicolás Maduro pediu à Assembleia Nacional a aprovação de uma lei especial que lhe conceda poderes reforçados por 12 meses para, segundo o próprio, legislar por decreto em matéria económica, «contra a corrupção e para tornar irreversível o socialismo». Mas para conseguir este objetivo o sucessor de Chávez terá de conseguir uma maioria de três quintos na Assembleia Nacional, o que se afigura muito difícil uma vez que o PSUV, partido que o apoia, apenas dispõe de 95 lugares num hemiciclo de 165 deputados.


O governador do estado de Miranda, Henrique Capriles, é chefe de campanha dos candidatos opositores às eleições municipais de 8 de dezembro.

Ele pretende nessas eleições municipais de 8 de dezembro ter uma maioria de vitórias nas mais importantes cidades da Venezuela,assim ter força política,e nas eleições para presidente derrotar Maduro,e voltar o país a um país democrático,pois hoje se vive uma ditadura castrista e em breve comunista.


 Que Dios Bendiga el pueblo venezuelano.










           Que Dios bendiga a Venezuela.