sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

¡NO SON CIFRAS DE LIBIA, AFGANISTAN O SUDAN! 24.763 personas fueron ASESINADAS en VENEZUELA en 2013 Não são números da Líbia, Sudão ou Afeganistão! Mais de 24.763 pessoas foram mortas em 2013 na Venezuela.

¡NO SON CIFRAS DE LIBIA, AFGANISTAN O SUDAN! 24.763 personas fueron ASESINADAS en VENEZUELA en 2013


Não são números da Líbia, Sudão ou Afeganistão! Mais de 24.763 pessoas foram mortas em 2013 na Venezuela.



La organización no gubernamental Observatorio Venezolano de Violencia (OVV) aseguró este jueves que las muertes violentas en Venezuela siguen en aumento y que la violencia criminal se cobró en 2013 la vida de 24.763 personas, lo que elevó la tasa de asesinatos a 79 por cada 100.000 habitantes.

A ONG Observatório Venezuelano da Violência (SVO)indicou nesta quinta-feira que as mortes violentas na Venezuela estão aumentando e violência criminal em 2013 custou a vida de 24.763 pessoas, elevando o índice de homicídios em 79 para cada 100.000 habitantes.

“Las muertes violentas continúan aumentando (…) cerraremos el año con un estimado conservador de 24.763 muertes violentas en el país y una tasa igualmente conservadora de 79 fallecidos por cada 100.000 habitantes”, dice un informe del OVV difundido hoy.

"As mortes violentas continuam a aumentar, vai fechar o ano com uma estimativa conservadora de mais de 24.763 mortes violentas no país e uma taxa igualmente conservadora de 79 mortes para cada 100.000 habitantes", diz um relatório divulgado hoje OVV.

La organización aclara que las cifras fueron obtenidas con el uso de distintos métodos de predicción estadística como el Brown y el Holt por parte de los investigadores de las siete universidades que integran el OVV ante la “censura oficial” sobre los números de homicidios que aseguran existe desde hace una década en el país.

A organização afirma que os números foram obtidos utilizando diferentes métodos de previsão estatística como Brown e Holt por pesquisadores de sete universidades que compõem o SVO antes da "censura oficial" sobre o número de homicídios para garantir que isso vem ocorrendo a mais de uma década no país.

“En el año 2013 se observó un incremento en los homicidios, los cuales continuaron con un crecimiento en las grandes ciudades que ha acompañado el cambio poblacional de las urbes; se encontró un incremento superior en las ciudades medianas y pequeñas, zonas hacia las cuales se desplazó el delito violento”, se lee en el informe.

"Em 2013, houve um aumento no número de assassinatos, que foi a continuação do crescimento nas grandes cidades que acompanharam a mudança da população das cidades, um aumento maior foi encontrado em médias e pequenas cidades, áreas para as quais foi movido a criminalidade violenta ", disse ele no relatório.

En el reporte también se indica que la mayoría de las víctimas de las muertes violentas en las tres modalidades consideradas en el documento, a saber, homicidios, averiguaciones de muerte y resistencia a la autoridad, son varones.

O relatório também indica que a maioria das vítimas de mortes violentas em três modos considerados no papel, ou seja, homicídio, investigações de morte e resistência à prisão, são do sexo masculino.

“Un hombre en Venezuela tiene 16,5 veces más posibilidades de ser víctima de homicidio que una mujer”, se indica.

"Um homem na Venezuela tem 16,5 vezes mais chances de serem vítimas de homicídio do que uma mulher", diz ele.

No obstante, la organización OVV dice que aunque se observó un crecimiento en los crímenes y Venezuela sigue siendo uno de los países más violentos del mundo “el incremento ocurrido evidencia una desaceleración en las muertes violentas.

No entanto, a organização SVO diz que enquanto se observa o crescimento dos crimes a Venezuela continua sendo um dos países mais violentos do mundo ", o aumento ocorreu mostra uma desaceleração no número de mortes violentas.

Esa desaceleración, dice el Observatorio, puede deberse “a la mayor conciencia de la población”, a “las tendencias inhibitorias en el comportamiento de los ciudadanos” y a “las políticas de seguridad implementadas por los Gobiernos nacional y local”.

A desaceleração, segundo o Observatório, pode ser "uma maior consciência da população" para "tendências inibidoras no comportamento dos cidadãos" e "políticas de segurança implementadas pelos governos nacionais e locais."

Para la organización, sin la aplicación del Plan Patria Segura que activó el Gobierno a mediados de año para combatir la inseguridad en el país con la presencia del Ejército en la calle “los resultados en delito y criminalidad hubiesen sido peores”.

Pois para a organização, sem a aplicação do Plano Pátria Segura que ativou o Governo em meados do ano para combater a insegurança no país, com a presença militar na rua "os resultados em crimes,e toda forma de criminalidade teriam  sido pior".

Sin embargo, no atribuyen el efecto positivo a la eficiencia del plan oficial contra el crimen sino a “la expresión de una voluntad de hacer cumplir la ley”.

No entanto, o efeito positivo atribuído à eficiência do plano oficial contra o crime, mas "a expressão de uma vontade de fazer cumprir a lei."

En diciembre del año pasado, el OVV cifró en 21.692 las víctimas de la violencia criminal en el país con una tasa de asesinatos de 73 por cada 100.000 habitantes.

Em dezembro do ano passado, foi de 21.692 OVV vítimas de violência criminal no país, com uma taxa de homicídios de 73 para cada 100.000 habitantes.


O povo venezuelano discorda com essa organização,e diz que a mesma,a que fez essa pesquisa é forjada e sim para darem créditos ao Presidente Nicolás Maduro,e dizem que os números de mortes na Venezuela é mais que o dobro do mostrado nas estatísticas dessa ONG.


Os venezuelanos estão se mobilizando para saírem novamente as ruas,mas alguns já dizem ser inevitável uma gerra civil. 





____________________________________________________

Enquanto isso aqui no Brasil.



Cerca de 150 pessoas, algumas com camisas do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), fazem uma manifestação na tarde desta segunda-feira dentro do hipermercado Extra, no Bairro Santa Efigênia, Região Leste de Belo Horizonte. 

O grupo exige 300 cestas básicas e afirma que só vai deixar o local após receber os alimentos. A Polícia Militar foi acionada e negocia com os líderes do movimento a liberação do estabelecimento.

A assessoria de imprensa do hipermercado confirma o protesto, mas ainda não informou que providência vai tomar sobre o caso. Os manifestantes estão concentrados na praça de alimentação que fica perto da entrada da Avenida Francisco Sales.

Será que é um coincidência com o que acontece na Venezuela e na Argentina. 
           Veja a convocação para invasões  de supermercados!      

video



                                                 Vídeo.

Eu venho alertando que isso iria ocorrer aqui,pois esses comunistas usam esses países como laboratórios,e o que estiver dando certo e criando o caos nesses países como a Venezuela e a Argentina,eles aplicam o mesmo aqui no Brasil.

Acordaaaaaaa Brasil. Veja essa matéria minha que postei a poucos dias. 

LINK :  http://danielcorrea79.blogspot.com.br/2013/12/o-que-midia-nacional-os-canais-de-tvs.html

    Compartilhem para que todos saibam!!!

Esses terroristas assassinos querem implantar o regime da morte em nossa Nação e na América Latina.


Acorda meu Brasil,antes que seja tarde demais!!!